Povo Cigano e Espiritualidade

Povo Cigano e Espiritualidade

O povo cigano é um exemplo de força e empatia. Esse povo acredita e cultua o amor incondicional e a proteção da natureza. São considerados filhos de Santa Sara Kali e iluminados por ela.

A saudação aos ciganos é “Optchá”, que significa “Salve”, e também pode-se dize “Saravá Povo da Rua” para saudá-los. Quando evocados, o povo cigano chega com suas danças, sua alegria, e a fé que contagia a todos que estão por perto.

Mas, é preciso ressaltar que nem todas as pessoas ciganas virarão guias espirituais, pois a existência e cultura particular desse povo não tem relação alguma com as religiões, principalmente as de origem afro.

Digo isto, porque os ciganos são muito ligados à Umbanda, onde se apresentam como guias espirituais com comportamento livre, olhares imponentes e com a firmeza de pensamentos necessária para quem compreende o que realmente é essencial na vida.

Muito próximos dos sentimentos humanos, a Linha dos Ciganos na Umbanda trabalha no centro, ou seja, tanto na direita quanto na esquerda, portanto são seres de luz, que passaram por esse mundo tomando consciência dos instintos humanos, o que os tornam importantes guias e orientadores espirituais, com grande compreensão dos nossos anseios e fraquezas.

Os ciganos são guias espirituais que trabalharam de maneira respeitosa e que sempre demonstram o caráter fraterno de sua grande tribo. Os ciganos são indivíduos que colocam, acima de tudo, a liberdade, a fé, a alegria e o amor.

Além disso, muitos desses ciganos passaram por diversas vidas para poderem alcançar um nível mais elevado e poderem contribuir com seus conselhos, se tornando assim entidades ciganas.

As maiores características dos ciganos são a alegria e a independência, por isso, em uma linha de trabalhos espirituais, eles sempre buscam seu espaço próprio.

Durante giras com ciganos, não é comum vermos trabalhos de quebra de demandas ou algo mais pesado. Ciganos costumam trabalhar com o lado leve da vida, sendo bastante voltados para o amor e a prosperidade.

Alguns nomes são bem comuns na linha de ciganos da Umbanda. São diversos os nomes de atribuição aos ciganos na Umbanda, os mais comuns são: Alba, Aurora, Ramirez, Esmeralda, Carmen, Dalila, Dolores, Gonçalo, Jade, Leoni, Jasmim, Ramon, Sara, Vladimir, Juan, Vladimir e Sandro.

As oferendas aos ciganos costumam ter fitas coloridas, perfumes, fumo, defumadores, imagens ciganas, lenços, moedas, Baralho Cigano, músicas, sucos, chás, vinhos, ponches, água, pulseiras, brincos, sais, colares, leques, xales, cristais, incensos, véus, doces, pães, frutas, mel, velas ,especiarias, plantas e flores.

O dia dos ciganos também é celebrado, sendo comemorado no dia 24 de maio, mesma data em que se celebra Santa Sara Kali, a santa considerada a padroeira dos ciganos.

Os ciganos também possuem suas cores respectivas e utilizadas com símbolo e significado, sendo elas:

  • Azul – Purificação, paz e tranquilidade.
  • Verde – Saúde, cura, esperança e força.
  • Amarelo – Estudos, prosperidade financeira e alegria.
  • Vermelho – Força, proteção, trabalho, alegria, paixão e transformação.
  • Rosa – Amor e sentimentos bons.
  • Branco – Paz, purificação e elevação espiritual.
  • Lilás – Intuição, quebra forças negativas e proteção.
  • Laranja – Alegria, comemoração e prosperidade.

Essas cores também são denominadas como o arco-íris cigano.

Aos ciganos, é muito comum recitar orações juntamente com suas saudações para que eles venham com sua alegria e intercedam por quem ora, entregando bem-estar, saúde e equilíbrio mental, físico e espiritual.

Se tornar um conselheiro espiritual dos encarnados é uma decisão particular de cada alma, eles esperam com isso alcançar um outro nível de conhecimento e sabedoria.

O povo cigano é uma linha espiritual que busca, acima de tudo, através da empatia, conservar a generosidade e a paixão tanto pela vida humana quanto por nossa querida e amada natureza.

Os ciganos, na espiritualidade, atuam em diversas linhas espiritualistas e, assim como prezam pela liberdade enquanto encarnados, em sua trajetória terrena, na espiritualidade também se manifestam de forma livre, em vários cultos e religiões.

Os espíritos Ciganos são cultuados e reverenciados em rituais de bruxaria e wicca, para levarem energias tanto de prosperidade, como para rituais de amor, trazendo alegria e harmonia, salientando que os adeptos desta linha pagã não incorporam os espíritos Ciganos, mas creem na força espiritual desta linha e na energia que trazem para nós, encarnados.

Na Umbanda, Os Ciganos atuam de diversas formas. Existem guias Ciganos que atuam em Terreiros na esfera espiritual, sem incorporação, auxiliando a Corrente já no início das Sessões, energizando os consulentes e médiuns, fazendo limpezas de chacras até que venha em terra a linha de trabalho para dar comunicação. São os Ciganos de Direita.

Ha linhas Ciganas que atuam em médiuns de incorporação em rituais de cura, tanto auxiliando na cura do corpo físico como na cura do espírito, e também são chamados de Ciganos de direita, ou Linha do Oriente.

Há também na Umbanda os Ciganos da linha intermediária, atuando em médiuns de incorporação ou não, que atuam nos mais diversos trabalhos, para prosperidade, abertura de caminhos, eliminação de obstáculos e enegias que atrapalham a vida material e espiritual, no equilíbrio mental, harmonização de famílias e casais.

E há os Ciganos que atuam na linha de Esquerda, junto dos Exus e Pomba-giras. São os Exus Ciganos e Pomba-giras Ciganas. Os Ciganos da Esquerda atuam com a função de polícia do Astral, defendendo e apicando a Lei Divina.

Estas Entidades atuam tanto em médiuns de incorporação como auxiliando as linhas de esquerda na esfera espiritual, visando a proteção e o combate de demandas, desmanchando trabalhos de maldade, fazendo descarregos, atuando com eficácia em planos espirituais inferiores, desmanchando trabalhos maléficos, e encaminhando espíritos obsessores e atrasados.

Em todas as linhas e nos mais diversos cultos, Os Ciganos na espiritualidade trazem a alegria, a dança, o respeito a família e a característica individual de sua cultura, de culto a natureza, de conhecimento místico, e utilizam em seus trabalhos o punhal, as pedras, flores, frutas, pães, velas, bebidas, espelhos, fitas, moedas, grãos, incensos, entre outros.

A tarefa de falar a respeito desse povo sem fronteiras requer grande responsabilidade. Os ciganos possuem uma história de vida alegre e festeira, mas eles também foram, e ainda são, vítimas de preconceitos injustos e sem fundamentos.

Cheios de tradições e costumes, como encarnados, eles vivem espalhadas por todo o mundo, em sociedades próprias, mas jamais podem ser considerados simplesmente um povo nômade de pouca credibilidade.

Ao contrário do que muitos pensam, os ciganos, apesar de viverem em acampamentos, que são verdadeiras cidades, e de formarem sociedades próprias, independentes do resto do mundo, não são simples andarilhos.

Os ciganos possuem uma origem milenar e o modo de vida deles, espalhados por todas as partes do mundo, são de adaptações, muitas vezes, a alguns costumes e religiões de cada região, bem como a alguns dos grandes momentos difíceis pelos quais passaram ao longo de sua história.

O que existe entre os ciganos é muita união e sabedoria, e o que muitos não sabem é que no povo cigano existem muitos elementos da cultura eslava, basca, grega, egípcia, hindu e outras.

Além disso, mesmo com a liberdade para escolher uma religião, muitos costumes dessas culturas permanecem no povo cigano. Os ciganos, no passado, tiveram forte ligação com os ciclos da terra, e até mesmo com a roda do ano e seus cultos, principalmente na Romênia, onde eles têm algumas vrajitoare (bruxas) de etnia cigana.

Alguns historiadores dizem que o povo cigano, no passado, influenciou uma parte da prática atual da bruxaria. É possível saber isso através dos livros de Charles G. Leland, que estudou o povo cigano de perto numa época em que certos ritos ainda existiam.

Os ciganos são um povo diversificado, cujo dialeto se separou em aproximadamente 100 devido as migrações e costumes absorvidos em diversos países, portanto existem famílias que irão realizar certos ritos típicos de uma região e outras famílias que terão costumes completamente diferentes, porém, mesmo com essa diversidade, os ciganos se reconhecem facilmente e sabem quando alguém está “fantasiado” de cigano, propagando costumes que não existem.

Na Umbanda, um guia cigano pode te atender gratuitamente e, para se conectar com esta egrégora, basta fechar seus olhos e clamar. Não se permita a enganações de pessoas que se aproveitam da boa fé e do vosso amor pelo povo cigano, se certifique de que está numa casa de confiança, que não atribui aos ciganos uma única religião.

Trabalhe com os guias ciganos compreendendo que cada um possuirá sua magistica, sua história, seus costumes e mistérios diferentes. Permita que sua espiritualidade se manifeste naturalmente, pois, ao permitir que pessoas enganosas te forneçam falsas informações do povo cigano, existe a possibilidade dos ciganos se afastarem e outros espíritos se aproveitarem da sua inocência, afinal você estará trabalhando com elementos que não pertencem a cultura cigana realmente.

Muitas coisas se reinventaram, algumas famílias ciganas se entregaram ao evangelho e mantém seu culto a Cristo (kristesko, em Romanês) nas Khanguery (igrejas), outros ciganos possuem um culto a Lilith (diferente da bruxaria), temos ciganos ortodoxos, testemunhas de jeová, ateus, pagãos… enfim, livres para escolher uma religião.

Veja  Os 9 Clãs Ciganos do Astral

A influência da Virgem Maria é muito forte na cultura cigana na maioria dos países, até mais do que Santa Sara Kali, pois, ao redor do mundo, não são todos os ciganos que a conhecem.

Ao mesmo tempo em que ciganos fazem ritos para o desapego da alma, também honram os ancestrais, suas histórias e valores. Infelizmente, muitas pessoas insistem em propagar mentiras usando roupas de guias ciganos de umbanda, se passando por ciganos e inventando uma tradição, cobrando horrores, não entendendo que aquela roupa pertence ao guia e a sua tradição quando encarnado e que usar a roupa não irá mudar sua etnia, e sim fazer com que o farsante seja motivo de piada entre os ciganos, além de desrespeitar a cultura da qual seu guia pertence.

Um cigano de nátsia jamais venderia a própria cultura por pura proteção dos costumes e, ao mesmo tempo, jamais faria um curso para se tornar cigano, pois ser cigano é etnia, se nasce cigano e não se torna cigano.

Tome muito cuidado com batismos para virar cigano ou com rituais onde são atribuídos “dons” ciganos ou até mesmo cursos de “magia cigana”, os ciganos não usam este termo, pois eles não tem um sistema específico de magia criado por eles, são várias vitzas e várias famílias, cada uma com seus costumes e tradições, eles chamam apenas de magia.

O Baralho Cigano e a Clareza no Jogo de Cartas

Tenham atenção ao escolher um curso de “baralho cigano” vendendo algum método específico de acampamento, afinal, por que uma cigana venderia os próprios segredos prejudicando seu próprio acampamento?

Afinal, aquele método não seria mais tão procurado pois seria facilmente acessado por não ciganos não é mesmo? O Baralho Cigano que conhecemos não foi criado por ciganos, mas seu uso se popularizou através da Umbanda, e chama-se Petit Lenormand.

Tradicionalmente, a leitura de cartas era feita apenas por mulheres, homens ciganos não abriam as cartas, pois seu trabalho tradicional era outro, dependendo de sua vitza.

Alguns homens ciganos costumavam desenhar as lâminas dos baralhos para suas esposas baseados na semiótica e na vivência de acampamento que os mesmos tinham, portanto um baralho de um acampamento nunca sairia igual ao outro, e, na época de acampamento, uma carta contendo o desenho de uma casa não faria muito sentido para a semiótica de uma cigana de acampamento.

Não é de costume do povo cigano adotar nomes de guias ciganos de Umbanda ou mudar o nome para ficar “mais cigano”, tome cuidado com iniciações em oráculos ciganos que prometem te tornar um cigano dando a você um “nome iniciático cigano”.

A menos que você tenha um guia cigano te dando clareza de jogo, então não haverá problema em divulgar o seu trabalho com o nome do SEU GUIA, DESDE QUE você dê o crédito AO GUIA, sem tomar para si o nome ou as roupas dele, afinal ler cartas ou trabalhar com guias ciganos não irá te tornar cigano de fato, mas te torna médium dessa incrível linha de trabalho.

Você não precisa ser cigano para ser um bom oraculista ou cartomante, você só precisa de treino, estudo e prática, e, com isso, sua própria espiritualidade pode te ajudar.

Caso queira ler cartas trabalhando com o ancoramento de ciganos espirituais, se certifique de estar escolhendo um bom professor, que trabalhe com os guias ciganos de forma respeitosa, sem promessas mirabolantes que mudariam sua etnia e que te conte com exatidão a história do oráculo utilizado.

Vale a pena lembrar também que, quando falamos de histórias de ciganos, logo lembramos de repetidas histórias de guias espirituais ciganos que percorrem sites esotéricos.

Muitas delas, infelizmente, não condizem com as tradições das vitzas rhomá e podem vir a retardar o desenvolvimento mediúnico de quem estiver desenvolvendo com um guia cigano, pois o trabalho espiritual com essa linha é feito de dentro para fora, portanto permita que o guia conte sua própria história, afinal um guia nunca terá a mesma história que o outro, mesmo que possua o mesmo nome, não significa que seja o mesmo.

Assim é como é a espiritualidade cigana… O povo cigano designado ao encarne na Terra, através dos tempos e de todo o trabalho desenvolvido até então, conseguiu conquistar um lugar de razoável importância dentro deste contexto espiritual, tendo muitos deles alcançado a graça de seguirem para outros espaços de maior evolução espiritual, juntamente com outros grupos de Espíritos, também de longa data de reencarnações repetidas na Terra e de grande contribuição, caridade e aprendizado no plano imaterial.

A argumentação de que espíritos de ciganos não deveriam falar por meio de não-ciganos, ou por médiuns não-ciganos, ou que deveriam fazê-lo no idioma próprio de seu povo, é totalmente errada e está em desarranjo total com os ensinamentos da espiritualidade e sua doutrina evangélica.

No ritual com o povo cigano, dentro da Umbanda, trabalham e incorporam as entidades da corrente cigana e do oriente, na vibração da direita. Para o povo cigano, se possível, deve ser mantido um altar separado do altar geral.

Esse altar deve manter a imagem do(a) cigano(a) de devoção, trabalho ou incorporação; o incenso apropriado; uma taça com água e outra com vinho; uma pedra da cor de preferência do(a) cigano(a) em um suporte de metal, se possível, cobre ou alumínio.

Trabalhando com o Povo Cigano

1) Aproximação:

O espírito não é assentado, como os orixás e os exus, ele não pode ser obrigado a fazer nada, pois é um conselheiro, um guia superior. Ele se aproxima da pessoa e incorpora espontaneamente, ou dá intuições sem incorporar.

2) Oferendas:

As oferendas para os espíritos ciganos incluem frutas, flores, pão, bebidas (vinho ou água), adornos (coloridos e brilhantes), velas e defumadores. Os espíritos ciganos nunca recebem sacrifício de animais.

O melhor dia para entregar oferendas para os espíritos ciganos é o domingo, ao meio-dia, seu local preferido é junto a uma árvore na mata ou em um jardim.

3) Trabalho:

O trabalho básico dos espíritos ciganos é a adivinhação. A técnica mais comum é a cartomancia, mas podem ser usadas a bola de cristal, a leitura de mãos e outras técnicas menos comuns (geralmente, próprias de um determinado espírito).

A partir do que seja visto na adivinhação, o espírito cigano pode realizar feitiços para corrigir o problema encontrado.

4) Cores:

Os espíritos ciganos gostam de cores vivas e brilhantes. No ritual com espíritos ciganos, nunca é usada a cor preta: nem em roupas, nem em velas, fitas ou outro material qualquer.

5) Altar:

Quem trabalha com um espírito cigano, é devoto de um deles ou deseja sua proteção, pode armar em casa um pequeno espaço devocional: sobre um móvel, ou mesmo sobre uma prateleira, é colocada uma boneca cigana, imagem ou mesmo um quadro com a(o) cigana(o) de sua devoção que deve ser consagrado(a) através de um ritual especial.

A pessoa coloca junto à imagem suas oferendas (velas, água, cristais, pote da prosperidade etc…) e, quando quer fazer um pedido ou feitiço, coloca aí o material do encantamento, antes de despachá-lo.

Os ciganos costumam ter, nesse altar, as imagens dos santos de sua devoção, entre os quais é obrigatória Santa Sara Kali.

Quando se fala da Linha de Trabalho dos Ciganos, em geral, ocorre um frenesi. De alguma forma, o modo de ser e viver do cigano quando encarnado, mexe com o mental das pessoas, as remete aos arquétipos de imagens livres, altaneiras, seguras e auto-suficientes.

Porém, os ciganos são dedicados à família, a valorizam como pedra fundamental e toda razão de ser do Povo Cigano. Na espiritualidade, os ciganos cada vez mais abrem fronteiras e suas fileiras têm aumentado, onde se prestam voluntariamente a trabalhar na Linha do Oriente, em especial na cura, mas também como orientadores diretos, quando a vida dos encarnados está muito embaralhada.

Os ciganos também são misteriosos no astral e os que se tornaram espíritos de luz tem grande conhecimento da Alta Magia e desmanche de todo tipo de trabalho, que é diferenciado do modo de atuar dos pretos velhos e caboclos da Umbanda, embora eles se aproximem para agir com a mesma finalidade de limpeza do ambiente, neutralização de toda e qualquer má intenção e enviar os espíritos ignorantes a seus lugares convenientes.

Se os ciganos que nos acompanham na espiritualidade resolveram despertar-nos para sua existência, se fizerem visíveis à nossa alma, algo mágico ocorrerá, como mágicos eles são.

De alguma forma passaremos a ser também ciganos de coração, pois o coração é a morada da alma e da emoção, e não sai da memória se um dia fomos, de fato, ciganos.

Veja  Os 7 Preceitos Ciganos

Os Espíritos Ciganos agem no plano da saúde, do amor e do conhecimento, suportam princípios magísticos e têm um tratamento todo especial e diferenciado de outras correntes e falanges.

Ao contrário do que se pensa, os ciganos reinam em suas correntes, preferencialmente dentro do plano da luz e positivo, não trabalhando à serviço do mal e trazendo uma contribuição inesgotável aos encarnados.

Trabalham, preferencialmente, na Vibração de Direita, e aqueles que trabalham na Vibração da Esquerda não são os mesmos Espíritos de ex-Ciganos que se mantêm na Direita, ostentando a condição de Guardiões e Guardiãs.

O que existem são os Exus Ciganos e as Moças Ciganas, que são verdadeiros guardiões a serviço da Lei nas trevas. Pombas-Gira Ciganas e Exus Ciganos trabalham e incorporam na vibração de esquerda, em rituais com os Guardiões de Esquerda.

Encontramos no Plano Positivo falanges diversas chefiadas por Ciganos diversos, em planos de atuação diversos. Dentre os mais conhecidos, podemos citar os Ciganos Pablo, Wladimir, Ramires, Juan, Pedrovick, Artemio, Hiago, Igor, Vitor e tanto outros, e, da mesma forma, as Ciganas, como Esmeralda, Carmem, Salomé, Carmensita, Rosita, Madalena, Yasmin, Maria Dolores, Zaria, Sunakana, Sulamita, Wlavira, Liarin, Sarita e muitas outras também.

A vinculação vibratória e de Axé dos Espíritos Ciganos tem relação estreita com as cores utilizadas no culto e também com os incensos. Os Espíritos Ciganos gostam muito de festas, e todas devem conter bastante fruta, todas que não levem espinhos de qualquer espécie, podendo-se encher uma jarra de vinho tinto com um pouco de mel.

As saias das ciganas são sempre muito coloridas e o baralho, o espelho, o punhal, os dados, os cristais, a dança e a música, moedas e medalhas são sempre instrumentos magisticos de trabalho dos ciganos em geral.

Os ciganos trabalham com seus encantamentos e magias e o fazem por força de seus próprios mistérios, olhando por dentro das pessoas e dos seus olhos.

É muito comum usar-se em trabalhos ciganos moedas antigas, fitas de todas as cores, folha de sândalo, punhal, raiz de violeta, cristal, lenços coloridos, folha de tabaco, tacho de cobre, de alumínio, cestas de vime, pedras coloridas, areia de rio, vinho, perfumes e escolher datas certas em dias especiais sob a regência das diversas fases da Lua.

As Consagrações Ciganas devem ter sempre comidas nos ritual próprio, isto é, no Ritual Cigano. As oferendas e os feitiços relacionados aos espíritos ciganos misturam o estilo da magia europeia com alguns elementos da magia de origem africana.

Alguns Espíritos Ciganos

As pessoas que trabalham com espíritos ciganos sabem descrever em detalhes as características de muitos deles. A lista a seguir é um resumo de informações encontradas em livros, se alguém encontrar alguma diferença entre esses dados e sua experiência pessoal, leve em conta que essas variações podem ocorrer quando se trata da manifestação de entidades do mundo espiritual.

Note também que esta lista nem de longe esgota o total de espíritos ciganos, conhecidos por seus devotos.

CARMENCITA: cabelos e olhos pretos; Cor: coral; Perfume: patchuli; Objetos: moedas, lua; Poder de magia: amor, união.

ESMERALDA: cabelos louros, olhos verdes; Cor: verde-claro; Perfume: sândalo; Objetos: tiara com moedas, pedras verdes, signo-salomão; Poder de magia: dinheiro.

IAGO: jovem, moreno; Cor: violeta; Perfume: violeta; Objetos: moedas, cristal lilás; Poder de magia: Cura.

MADALENA: cabelos e olhos pretos; Cor: multicor, predominando cor-de-rosa; Perfume: alfazema; Objetos: moedas presas na roupa, pulseira com talismã; Poder de magia: amor, união.

PABLO: cabelos e olhos pretos; Cor: vermelho; Perfume: Floral; Objetos: cordão com moeda, chapéu preto; Poder de magia: negócios.

PALOMA: cabelos e olhos pretos; Cor: multicor, predominando amarelo; Perfume: verbena; Objetos: punhal, cristal vermelho; Poder de magia: proteção.

RAMUR: cabelos e olhos pretos; Cor: vermelho; Perfume: floral; Objetos: ferradura, ferro; Poder de magia: proteção, segurança.

SALAMANDRA: ruiva; Cor: vermelho; Perfume: flores do campo; Objeto: fogueira; Poder de magia: limpeza, cortar feitiço.

SANDRO: cabelos e olhos pretos; Cor: verde; Perfume: benjoin; Objeto: punhal, moedas; Poder de magia: prosperidade.

SULAMITA: cabelos e olhos pretos; Cor: azul e amarelo; Perfume: Verbena; Objetos: cristal, folhas de árvores frutíferas; Poder de magia: união, proteção.

WLADIMIR: usa cavanhaque, jovem; Cor: azul-claro; Perfume: âmbar; Objetos: lenço no cabelo, argola na orelha, cordão com signo-salomão e sol; Poder de magia: união.

ZAÍRA: cabelos e olhos pretos, casada; Cor: azul-claro; Perfume: Acácia; Objetos: jóias prateadas; Poder de magia: amor.

Povo Cigano na Umbanda

O Povo Cigano passou a conquistar níveis na espiritualidade dando abertura para o seu grupo trabalhar como linha de Umbanda há pouco mais de duas décadas.

Eles vem para reavivar no ser a cultura de liberdade no sentido mais prático do termo, que está presente no caráter nômade de determinados povos.

Aquele povo que tinha uma relação com a natureza, que é uma religião natural e que conhecemos como paganismo, na Umbanda foi convertido em um grupo ou falange de espíritos que trabalham em prol da caridade, humildade e fraternidade.

Toda a forma de entender a vida, faz do atendimento com o Povo Cigano um bálsamo pra alma. O povo cigano traz a manifestação do livre arbítrio para dentro do terreiro.

Antigamente, não se tinha gira de Ciganos, mas sim Ciganos incorporados em giras de esquerda, de boiadeiro, de baianos e etc. No entanto, graças a seriedade dos seus trabalhos, a simpatia que conquistaram junto aos frequentadores, aos seus profundos conhecimentos magísticos e orientações sábias, os Ciganos ganharam linha própria, na qual se apresentam seus clãs do astral, com sua hierarquia.

A linha dos Ciganos traz em sua mensagem o ímpeto pelo desapego, pela liberdade, pelo amor e pela alegria de viver e não corresponde à um grau evolutivo, e sim à uma tendência de espíritos (de cultura nômade/arquétipo cigano) que se organizaram e ascenderam formando suas hierarquias.

Existem ciganos de diversas etnias e esse conceito a linha também traz muito forte em sua manifestação. A liberdade de crença e a mística sincrética dos oráculos ciganos, tal como as cartas, a quiromancia, o oráculo de moedas, as runas e etc, são o maior símbolo dessa fusão de credos.

Os ciganos na umbanda são figuras que se tornam mais importantes a cada dia, representam uma imagem fundamental e possuem seriedade diante do povo umbandista.

No surgimento da Umbanda, os ciganos não pertenciam e não eram citados em nenhum momento, eles não faziam parte da constituição, mas hoje, o que vemos sobre ciganos na Umbanda é completamente diferente de antigamente, eles são referências por representarem importantes falanges nas giras umbandistas.

Algumas características dos ciganos são determinantes em sua manifestação na umbanda, eles possuem um espírito livre e desapegado. Muitas vezes, a linha de cigano é confundida com a linha do oriente e por isso, é importante ressaltar que são linhas diferentes e que cada uma possui uma forma de manifestar-se.

Suas falanges representam suas características e por isso, é comum ver em linhas de ciganos:

  • Espíritos que foram atraídos por afinidade com a magia cigana.
  • Possuem alguns elementos em suas vestes e alguns objetos como: baralho cigano, adagas, cristais, pedras, lenços entre outros.
  • São extremamente desapegados e não possuem vínculos.
  • Trabalham com diferentes orixás.
  • Veneram sua santa, a Santa Sara Kali.

Dois orixás que sustentam os trabalhos dos ciganos na Umbanda são Ogum e Iansã, que são orixás do ar e do fogo e que se relacionam com o que os ciganos acreditam e trabalham.

Os ciganos não possuem preconceitos com nacionalidades, eles são abertos ao conhecimento mutuo de diversas culturas, são expressamente livres em assuntos sociais, o que é muito positivo.

Uma denominação poética aos ciganos é que são chamados de “filhos do vento”, por conta de sua mobilidade constante, a partir desse perfil que os ciganos na Umbanda são identificados.

Os ciganos na Umbanda são guias espirituais e entendem e aceitam os rituais umbandistas como uma maneira de contribuir com a evolução, com a sabedoria, crescimento, motivação e alegria através dos cantos e danças.


Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Livros para Você Comprar:

Élida Alexandre

Cartomante, taróloga, terapeuta holística e empreendedora de livros de auto ajuda espiritual, religião e esoterismo.

Site: elidaalexandre.com.br

YouTube: youtube.com/@ElidaAlexandre

Instagram: instagram.com/elidaalexandre9

TikTok: www.tiktok.com/@elidaalexandre9