POVO CIGANO

Site dedicado à cultura, fé e sabedoria cigana, com orações, rituais e muita identidade e história…

Os Benefícios dos Alimentos Segundo o Povo Cigano

Os Benefícios dos Alimentos Segundo o Povo Cigano

Na cozinha romani, ou na cozinha cigana, tudo tem um significado ou um simbolismo. Cozinhar para o povo cigano não é algo banal como para outros tantos povos.

O fogo, por exemplo, usado e crucial para cozinhar não é apenas fogo. É o calor da vida que transforma os alimentos.

A terra é a vida que nos dá todos os alimentos e temperos. A água não somente limpa como também transforma os alimentos, e o ar é o perfume que desprende dos alimentos.

Por aí, vemos que os quatro elementos são bem reconhecidos pelo povo cigano na cozinha, mas não só dessa magia vive a cozinha romani.

A fé também está na culinária cigana, onde se cozinha rezando e abençoando, pedindo à Santa Sara Kali o sustento para o corpo e para a alma, junto com Aquele que tudo provê.

A cozinha para o povo cigano também é lugar de dar graças, principalmente pelo pão da vida. E cada alimento possui seu benefício…

Alimentos que nos protegem e guardam nossa saúde: açafrão, alho, alecrim, batata, cebola, louro, menta, erva cidreira, salsa e erva doce.

Alimentos que nos trazem fertilidade: arroz, cenoura, gergelim, canela, laranja, alcaparras, trigo, coentro, cravo da índia, manjerona e uva.

Alimentos que nos trazem prosperidade: amêndoa, arroz, camomila, canela, erva cidreira, ervilha, sálvia, gergelim, laranja, feijão, lentilha, noz moscada, romã, trigo, salsa, uva e fruta de conde.

Alimentos para manter a felicidade e o amor: alcaparras, beterraba, cereja, canela, chuchu, erva cidreira, ervilha, maçã, manjerona, maracujá, morango, pêra e morango.

A noz moscada nos dá sorte; a sálvia, sabedoria; a uva mantêm a amizade e a erva cidreira, o amor. O sal nos diz todos os dias o quão amargo foi o passado e nos dá o equilíbrio dos dias atuais.

Alimentos que nos trazem a paz e a harmonia: mel, orégano, manjerona, cominho, canela, erva doce, cravo da índia, alecrim, mostarda e aveia.

A farinha do pão (trigo) e o azeite são muito antigos – eles derivam da transformação do sofrimento em alimento e da consagração e purificação do azeite, como puro, que aquece, alimenta e unge um povo, antes e depois da morte ou rito de passagem.

Alimentos que equilibram o corpo: cebolinha, aveia, limão, uva, vinagre, mel, milho, tomate e café.

É por todos esses benefícios que a cada lugar que uma caravana cigana chegava ou chega há o respeito a cada região, o que cada tempo, solo e ares podiam e podem reproduzir, a comida do dia vinda de uma natureza sempre generosa.

Para o povo cigano não há o correto ou errado na alimentação, há o simples, o respeito pela natureza, ter o que preparar para levar a boca, o que só quem passou pela fome sabe o que significa essas palavras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *